Dicas Práticas para os Primeiros anos de vida

12 Dicas de Educação Artística e Pintura para Crianças

Quando uma Atividade didática é divertida, nem Parece que faz parte das Obrigações Escolares...
"Se o educador é capaz de transformar um passatempo lúdico em uma atividade potencializadora da cognição, a este, podemos chamar de mestre..."
12 Dicas de Educação Artística e Pintura para Crianças

Até que se prove o contrário, aprender brincando ainda é uma prática pedagógica das mais inteligentes e produtivas...

Considerações Iniciais...

Ao contrário da crença comum, as Aulas de Arte, se bem pensadas e adequadamente conduzidas, poderão se tornar um dos mais eficientes recursos didáticos no processo de estruturação da cognição infantil entre todas as faixas etárias.

Mas, o educador precisa saber o que está fazendo. Não se trata da aplicação de simples brincadeiras aleatórias com a intenção de entreter o grupo para ajudar a passar o tempo.

Mas, será que nossos educadores conhecem as propriedades cognitivas que se escondem por trás de cada brincadeira ou atividade recreativa que se pratica em sala de aula, especialmente aquelas relacionadas aos dotes artísticos? Trata-se então de um processo onde esse docente deverá se pré-qualificar, caso pretenda usar o método como ferramenta pedagógica em seu magistério diário.

Lembre-se sempre de que, toda atividade didática com Arte é benéfica à qualificação cerebral, uma vez que trabalha ao mesmo tempo a abstração, a disciplina e os conceitos lógicos que dão suporte ao processo da auto-organização.

A seguir destacamos algumas dicas ou reflexões que poderão servir como "links" para que pais e educadores compreendam um pouco mais sobre essas importantes atividades...

Desse modo, é preciso lembrar sempre de que...

  • Não se deve nunca fazer por uma criança o que ela pode fazer por si só.
  • A criança reflete em todos os seus atos o ambiente em que vive.
  • Se a criança utiliza espontaneamente a mão esquerda para comer, jogar bola, segurar objetos ou gesticular, ela é canhota.
  • Obrigar a criança a trabalhar e a comer com a mão direita, nesse estágio etário, é um erro grave.
  • Corrigir tal "defeito" pode trazer graves consequências como gagueira, timidez, aversão geral pelo trabalho escolar, conflitos com os pais e mestres, insegurança pessoal, baixa autoestima, etc.
  • Depois de crescida, por volta dos 7 anos de idade, não há mal algum em incentivar para que pratique também a escrita com a outra mão, mas sem a condição da obrigatoriedade.
  • Os lápis e giz de cores são instrumentos de fácil manejo e de que a criança gosta muito.
  • A criança tem no desenho uma de suas atividades preferidas, afinal de contas, ali ela pode se expressar sem ressalvas exercitando sua capacidade de abstração, e o mais importante, de forma absolutamente natural, sendo ainda capaz de representar graficamente suas emoções, tais como, alegrias, receios, aspirações.
  • Através do desenho ou pintura, a criança desenvolve sua capacidade de observação, afina a coordenação motora, qualifica o gosto artístico, adquirindo conhecimentos úteis e bons hábitos de camaradagem, disciplina e amor ao trabalho.
  • O desenho de imaginação é o mais indicado, sendo preferível o espontâneo. Espontâneo quer dizer, retratar aquilo que ela sente a partir dos recursos que estão disponíveis. Lembre-se, ensinar a forma correta de se pegar no lápis ou pincel é uma coisa necessária. Já sugerir que tipo de desenho deverá ser feito como forma de se expressar, não é...
  • A pintura com as mãos cria o sentimento de liberdade no processo criativo; desenvolve a autoconfiança e espontaneidade na forma de demonstrar seus sentimentos mais profundos.
  • Deverá haver, na sala de aula, à disposição das crianças, que deles se utilizarão livremente, de acordo com a preferência ou o interesse do momento, papel liso em folhas grandes e espessas, lápis e giz de cores, estojos de aquarela, quadro negro, cavaletes, brochas e pincéis.

Dicas Bônus...

  • Para as crianças maiores de 7 anos, pedir para que expressem sentimentos, tais como, angústia, ansiedade, medo e raiva, desde que conheçam o status Quo de cada um destes estados, vai ajudar o educador ou pai a traçar um perfil psicológico dela que se aproxima bastante de sua realidade...
  • Estudar o trabalho artístico das crianças antes e depois de uma prática meditativa simples, constitui um processo que ajudará o educador a avaliar os efeitos no estado emocional de cada uma, assim como na qualidade dos atos praticados.

Finalmente, não se limite ao escopo dessa lista de reflexões, estude seu caso e faça adaptações, afinal de contas, um modelo pedagógico estático só é capaz de formar cidadãos apáticos.

Também Recomendamos...