Dicas para Autorreciclagem

8 Fatos Sobre a Descoberta da sua Vocação que Você Precisa Conhecer

A descoberta da Vocação Pessoal deveria ser uma das mais importantes pautas dentro da pedagogia tradicional, jamais um evento raro patrocinado pelo mais absoluto acaso...
8 Fatos Sobre a Descoberta da sua Vocação que Você Precisa Conhecer

Acertar a partir dos erros é sabedoria. Errar a partir de acertos, burrice...

Muitas vezes pode ocorrer a realização pessoal através de uma profissão não vocacional, entretanto, dificilmente com a certeza de que não deixamos nenhuma pendência para trás...

Como na escola o status vocação é tratado quase como uma heresia, para aqueles que de fato estão interessados em aprender mais sobre esse valioso atributo, alguns aspectos poderão ser avaliados aqui nesse artigo. Ao final o leitor deverá ficar à vontade para examinar tudo de perto, e se desejar, ampliar o escopo do seu conhecimento com mais pesquisas e assim tirar suas próprias conclusões.

A partir da assimilação desse novo acervo cognitivo, com o tempo, deverá chegar a uma condição pessoal que o permita, quem sabe, descobrir a sua própria vocação.

Afinal de contas, o que vem a ser a vocação ou o estado vocacional?

Vocação é aquela qualidade que permite ao indivíduo fazer uso pleno da sua inteligência com singular criatividade no exercício de uma atividade. Sem a vocação, apenas cerca de um quinto desse potencial vem à tona. E surge um homem produzindo um quinto da sua capacidade, usando um quinto do seu cérebro. Logo, teremos como resultado uma produção com um quinto da qualidade que deveria ter.

Vocação vem a ser um estado existencial, pessoal e intransferível, onde o indivíduo não apenas está consciente das predisposições inatas que mais se ajustam ao seu perfil, como também se identifica com elas. Se aquela inclinação se transformar numa profissão, esta será uma aliada das mais importantes para sua realização pessoal plena.

Um indivíduo motivado pela força da vocação não tem no trabalho uma obrigação, muito menos um compromisso social necessário. E ao invés de obrigação, há sempre satisfação; e ao invés de compromisso social, há realização profissional e pessoal.

Por isso é sempre mais criativo, mais produtivo, e tem no exercício do seu ofício um momento repleto de desafios que mais se assemelham a oficinas lúdicas de requalificação ou reciclagem pessoal, a exemplo de uma criança diante do seu primeiro brinquedo. E por força desse atributo se torna disciplinado, organizado, autoconfiante, empreendedor. Vê na inovação útil uma evidência de progresso e nunca uma ameaça de retrocesso.

E qual é a melhor época para a descoberta ou potencialização da nossa vocação?

Para a descoberta a infância é a melhor época, mas não a única. E de fato, entre a descoberta e a aplicação dessas potencialidades, vários anos terão se passado. Isso ocorre principalmente pela falta de percepção do indivíduo, uma vez que ele ainda poderá ter dúvidas, ou mesmo se desviar obrigado pela força das circunstâncias.

E para potencializar uma vocação ele precisa estar consciente, em primeiro lugar, dos seus limites; em segundo, de suas verdadeiras inclinações. Quando jovem ou adulto, a descoberta pode ocorrer, mas não com tanta facilidade quanto o seria na infância ou antes de atingir a puberdade.

Ocorre que o jovem ou adulto já está condicionado pela mesologia, e isso irá contaminar suas predisposições inatas levando-o a cometer equívocos. Isso acaba por forçar a escolha de caminhos diferentes ou alternativos, criando acomodação ou hábito, o que na maioria das vezes é confundido com vocação.

Ao descobrir e seguir a verdadeira vocação no exercício de uma profissão, isso é uma garantia de que serei bem sucedido profissionalmente e financeiramente?

Nem sempre. Realização vocacional é uma coisa; a financeira outra. Muitas vezes o sucesso profissional, mesmo que seja por vocação, não significa também o financeiro. Lembre-se, o profissional por vocação é mais produtivo e a excelência do seu trabalho é inquestionável. Ocorre que, algumas vezes, o ramo de atividade exercida pode não ser o mais rentável. Ainda assim, o profissional que realiza seu trabalho por vocação, jamais se sentirá frustrado por conta disso.

Como posso saber se minha atividade profissional atual é vocacional ou uma simples consequência motivada pelas circunstâncias?

Algumas vezes, embora seja um evento raro, a descoberta da verdadeira vocação ocorre por acaso. Esse acaso pode ter como gatilho uma motivação inesperada ou acidental. Outras vezes pode acontecer durante a leitura de um livro, ou apreciação de um filme, ou mesmo numa conversa informal. Em qualquer desses casos haverá sempre um período de maturação, onde, pelo exercício daquela atividade o indivíduo irá descobrir se não é uma simples compulsão patrocinada por modismos, sugestões ou outras condições.