Artigos para Autorreciclagem

Conte seu Problema - A Criança que tem Medo de Dormir Sozinha

O progresso consciencial humano parece limitar-se a capacidade de organizar seus problemas de modo a nunca perdê-los de vista...
"O estado de Atenção, quando se faz presente, faculta ao indivíduo perceber o tamanho da sua desatenção..."
Conte seu Problema - A Criança que tem Medo de Dormir Sozinha
A Superproteção é um dos piores e mais destrutivos elementos de deformação psicológica já criados pelo homem...

Examinando a Questão...

O cuidado exagerado com os filhos pode ter efeitos colaterais graves...

"...Ele só gosta de dormir na minha cama comigo... Não tem jeito..."

"Senhora, no seu caso, receita-se uma cama..."

"... Mas há um remédio com esse nome?"

Não, minha senhora, não há uma droga com esse nome. Mas o remédio para o caso do seu filho é esse mesmo: uma cama, este clássico móvel que as pessoas usam para dormir inclusive.

Acomodar seu filho no seu leito conjugal é erro de graves consequências futuras, e nesse erro incorrem pessoas de todos os níveis.

Diz a senhora que o menino é "muito apegado" consigo, que "não faz mal porque ele ainda é muito pequeno" e etc. Muito bem! Até quando essa situação poderá ser tolerada? "Quando ele for grandinho, naturalmente que dormirá noutro quarto..."

Bem quando ele for grandinho, então, o mal que se poderia fazer terá chegado a seu termo. A senhora o trará, novamente, para que o examine. A esse tempo não receitarei mais uma cama, talvez, nem mesmo droga nenhuma. Ele precisará, talvez, dum dispendioso tratamento analítico, demorado e paciente. E trará no seu passivo social, possivelmente, um largo prontuário de êxitos negativos. Ah, a senhora conhece muitas pessoas que quando meninos dormiam com os pais e que não sofrem dos "nervos"? Olhe aqui: Acontece que dormir na cama dos pais não causa doença nervosa, propriamente, o que provoca ou pode provocar é uma série de distúrbios na formação da personalidade do indivíduo. Distúrbios que poderão vir à tona sob a forma de desvios, perversões, fixação e complexos diversos que marcarão a vida do adulto depois.

Se sob o ponto de vista da higiene física já o fato de dormirem duas pessoas na mesma cama não chega a ser coisa recomendável, sob o ponto de vista da higiene mental, dormirem os pais com o filho no mesmo leito constitui um hábito dos mais perniciosos. E veja bem: dormir mesmo em outra cama, mas no mesmo quarto, ainda é uma prática nociva, pois a vida íntima dum casal não deve constituir um espetáculo para os olhos de uma criança.

Diz a senhora que o "inocentinho" não percebe nada... Pois sim. É que os adultos facilmente esquecem que a perceptividade da criança é muito mais aguçada do que se imagina e que as imagens gravadas até os quatro anos de idade formam um lastro que, do seu inconsciente, pode determinar as mais variantes normas de conduta e atitude, refletindo-se, depois, à distância, como um nódulo ignorado, mas atuante sobre seu Ego na sua vida futura.

Seu filho deve ser habituado a dormir em cama própria e noutro quarto ou noutra parte da casa, sem a participação de adultos. Deve ser habituado a deitar-se em hora certa e a adormecer naturalmente. Sem embalos, sem cantorias; sem cafunés, sem histórias, sem carícias nos dedos dos pés ou em qualquer outra parte do seu corpo; sem ameaças, sem rituais e sem medo. O medo que algumas crianças tem do escuro ou do isolamento lhes é incutido pelos adultos que exaltam a sua imaginação com histórias impróprias ou com o terror condicionado: "se não dormir logo vem o bicho papão e lhe pega" ou "olhe o homem do saco", ou qualquer variante dessas estúpidas coações.

Se algum familiar já se encarregou de lhe semear o terror, faça cessar a sua influência malévola e reeduque, pelo exemplo, o garoto, fazendo-lhe ver que tais coisas não existem e incutindo-lhe a noção de segurança que ele deve sentir no seu lar.

Por mais humilde que seja a sua casa há de se encontrar um lugar onde a criança possa ter o seu recanto. Cerque-o de brinquedos simples: bolas, bonecas, animais de brinquedo. Não diga que não os pode comprar. Você mesmo pode fazer pequenos brinquedos para o seu filho e um boneco de pano de fabricação caseira lhe causará tanto prazer quanto um outro qualquer das vitrines sofisticadas. Um jogo de armar, feito com quadrinhos de madeira, serrados em casa e coloridos, lhe fará tão feliz quanto um outro de custo elevado, mas que, na essência, é a mesma coisa.

Cuide de preparar assim a sua pequena estante de brinquedos ao lado da cama do menino. Aquele será o seu "território", onde ele se poderá desenvolver guiado por sadias normas e onde se lhe poderá incutir hábitos corretos.

Seu menino deve dormir em cama própria e fora do quarto dos pais. Esta é mais do que uma receita. É uma orientação para que ele possa melhor vencer as diversas fases de evolução natural dos seus sentimentos em relação aos pais, condicionadas a um fenômeno psicológico conhecido pelo nome de Complexo de Édipo.

Fonte: Dr. Gonçalves Fernandes, Chefe da Seção da Ortofrenia e Higiene Mental do Depto. de Saúde Pública, da Faculdade de Ciências Médicas, de Pernambuco.

Revista do Ensino - Porto Alegre - Brasil

Outros Casos que Recomendamos...